Blog

VPD: O que é?

O que é VPD e como essa medida influencia o cultivo indoor?

Escrito por:

Pedro Henrique Cavalcante

31/01/2024

imagem-2024-01-31-115921142png

Ao pesquisar sobre Cultivo Indoor, é normal encontrarmos termos que – em um primeiro momento – podem nos parecer estranhos e um tanto quanto difíceis de compreender, como por exemplo o "VPD". Um conceito que você precisa saber o que é e como influencia no cultivo.

Muitas pessoas começam esse processo de cultivo no escuro: Sem entender muito bem o que acontece, porque acontece e – principalmente – sem saber como agir ao perceber que algo não está saindo como fora previamente planejado. 

Os conceitos relacionados à umidade presente no ar fazem diferença quando o assunto em pauta é o crescimento saudável da sua planta, já que um desequilíbrio no ambiente pode trazer prejuízos significativos à sua colheita. Sendo assim, você precisa saber com clareza a importância e significado de termos como “Umidade Relativa” e “VPD”.

Para facilitar a sua vida e descomplicar esses conceitos, preparamos esse artigo super especial com tudo que você precisa saber sobre umidade antes de se aventurar no mundo do cultivo.

1. UMIDADE 

No dicionário, umidade é explicada como “quantidade de vapor de água na atmosfera, determinada por uma dada medida”. Na prática, isso significa que – quando em formato de vapor – a água é capaz de ficar retida no ar. Por isso, é correto dizer que umidade se refere à quantidade de água presente no ar no momento em que foi feita a medição. 

Dependendo das condições climáticas de cada local – ou da época do ano – essa quantidade pode acabar variando. Dessa forma, em um dia de temperaturas muito altas, é comum que a umidade retida no ar seja maior quando em comparação com dias de clima mais ameno. O que já nos abre parâmetros para entender que, em um cultivo feito em regiões quentes, os cuidados com a umidade serão diferentes daqueles propostos para cultivos em regiões frias.

2. UMIDADE RELATIVA DO AR (UR)

Se já entendemos que os cuidados com umidade podem variar de acordo com a região e época do ano, agora é hora de compreender o que – de fato – é preciso medir quando percebemos mudanças de temperatura no ambiente: a umidade relativa do ar.

É esse o nome dado para o percentual de vapor de água presente no ar quando comparado ao potencial de vapor de água total que o ar poderia estar retendo sob certa temperatura. Por isso, quando se ouve dizer que a umidade relativa está em torno de 40%, isso significa que – naquela temperatura – o ar está retendo 40% do potencial de vapor de água possível.

No Cultivo Indoor, esse conceito faz sentido quando pensamos na transpiração da planta. De maneira geral, os estômatos – aberturas presentes na estrutura vegetal, responsável pela troca gasosa da planta com o ambiente – são os responsáveis por esse processo. No entanto, como via de regra, quanto mais seco o ar, mais “suor” a planta vai acabar liberando (vice-versa) e esse ambiente desequilibrado pode – a longo prazo – não ser benéfico ao seu cultivo.

3. PRESSÃO 

Quando a Umidade Relativa está muito alta, as folhas passam a ter dificuldades para manter o processo de transpiração dentro da normalidade desejada, tendo em vista que toda a água presente na atmosfera exerce uma pressão “invisível” sobre a folha que – por sua vez –  não consegue ter força suficiente para liberar a água que armazena dentro de si. 

Em contrapartida, quando a umidade relativa do ar no ambiente está baixa, essa pressão se torna consideravelmente menor, fazendo com que a planta consiga transpirar sem maiores dificuldades. Fato que – não necessariamente – será benéfico a planta, já que esse processo de liberação de água pode se exceder.

4. DÉFICIT DE PRESSÃO DE VAPOR (VPD)

Com os conceitos de UR e Pressão em mente, podemos finalmente aplicar o VPD como aperfeiçoamento no manejo com as plantas. Aqui, será medido a diferença entre a pressão teórica exercida pelo vapor da água presente em ar saturado – 100% de UR sob determinada temperatura – em relação à pressão de vapor que, de fato, está presente no ambiente. De maneira mais simples: o Déficit de Pressão de Vapor – no ponto de vista da planta – é a diferença entre pressão do ambiente externo com a pressão presente dentro da folha da estrutura vegetal. 

Na prática, a água retida dentro da folha e a mistura de água e ar liberada pelos estômatos é (com frequência) completamente saturada (= 100% UR). Portanto, se o ar fora da estrutura vegetal for menor que 100% de UR, é possível que o vapor de água entre no ar, já que gases e líquidos comumente gostam de migrar de ambientes com concentrações maiores – as folhas – para áreas com contrações menores – o ar. Tenha em mente que, quanto maior o VPD, maior as chances do ar sugar a umidade de sua planta.

Medido em kilopascal (kPa), os valores de VPD sempre serão contrários aos valores de UR. Por isso, sempre que a umidade relativa do ar estiver alta, o Déficit de Pressão de Vapor apresentará valores baixos.

5. CONTROLE DE UMIDADE DENTRO DO GROW

Compreendemos que a UR precisa estar em condições favoráveis (com índices nem muito baixos, tão pouco muito altos) para que a pressão dentro do ambiente permaneça adequada, a fim de que as plantas mantenham seu processo de transpiração regulado – tendo em vista que 90% da água captada é eliminada através do “suor”, enquanto os 10% restante são responsáveis pela ajuda no crescimento. Com ajuda do VPD isso se torna palpável.

A única questão que pode vir a “atrapalhar” a determinar o déficit com precisão é a dificuldade em medir a temperatura real presente na folha da estrutura vegetal.

Como solução, é aconselhável colocar os sensores na altura da copa das plantas (e vale lembrar que o Ganzá é um grande aliado nessa jornada! Monitorando e notificando os parâmetros).

Na tabela acima, podemos observar que para uma temperatura de 27 °C (81 °F) deve-se manter uma UR de aproximadamente 75%. Em dias mais quentes – 28 a 32 °C – uma temperatura de 80% seria o ideal. Porém, é sabido que ambientes com umidade relativa muito alta, as chances de desenvolvimento de doenças fúngicas é maior, já nas áreas onde esse índice é baixo, há maiores chances de estresse da planta.

Por essa razão, cultivadores costumam manter a UR entre 60% a 70%, controlando sempre a temperatura do local.

Agora já sabe, tenha sempre essa tabelinha por perto para garantir que o VPD do seu cultivo esteja sempre dentro da faixa laranja (ideal) ou no máximo na branca (aceitável) para garantir um crescimento saudável para suas plantinhas.

Definindo a quantidade

O número de plantas dentro do grow pode afetar diretamente em como elas irão dividir o ambiente. É importante lembrar que quanto menos plantas, melhor você consegue assegurar as condições perfeitas para elas. Por isso pode ser interessante buscar por técnicas de manter poucas plantas com um alto rendimento!


Leia esse texto sobre Técnicas de Podas e Amarras que vão elevar o seu cultivo!

Comentários

CURSO AVANÇADO

Garanta o seu acesso!

Curso Master Grower

Você já pode adquirir o curso hoje para iniciar a sua jornada de crescimento

Mais detalhes